Arquivos Mensais: agosto 2017

Oração pelos Sacerdotes

Queremos pedir-te pelos nossos sacerdotes, nossos pastores e guias, nossos evangelizadores e santificadores, nossos intercessores junto de Ti, para que sejam fiéis ao dom do sacerdócio que receberam e vivam apaixonados por Ti, Jesus Sacerdote, e pelo Povo de Deus que Tu lhes confiaste. Fá-lo santos, humildes e pobres de coração, castos e obedientes à Mãe Igreja. Fá-los verdadeiros bons pastores e bons samaritanos. Que sejam testemunhos vivos do amor do Teu Coração, que conduzam o Povo de Deus com sabedoria e misericórdia, que vivam apaixonados pela Palavra e pela Eucaristia, que tenham gosto em administrar os sacramentos, que sejam contemplativos e homens de profunda oração, que não lhes falte o amor e dedicação aos pobres. Aos doentes, aos marginalizados, aos que sofrem. Fá-los alegres e felizes na vivência do sacerdócio. Ampara, Jesus, os mais idosos e os mais doentes, os que se sentem mais tentados ou desanimados. Protege-os nas suas dificuldades, fortalece-os nas suas fragilidades. Sê Jesus, seu amparo, seu refúgio, para que animados pelo sopro do Espírito tenham o coração abrasado pelo fogo do Teu amor. Amém!

Salmo dos Corruptos – Salmos 52 (14) ou 13 (53)

Dom José Maria Maimone

Bispo de Umuarama (PR)

 

Ao rezar o salmo 52, nesse tempo em que todos os meios de comunicação do Brasil falam só da corrupção dos nossos políticos, é impossível não pensar neles e na situação vergonhosa e desastrosa em que estamos vivendo no país da Santa Cruz.

Parece até que o salmista, autor deste salmo está vivendo hoje e aqui, entre os brasileiros.

Embora a maioria dos nossos políticos se intitule cristãos, na pratica eles são ateus e devem repetir estas do início do salmo: “Deus não existe! É uma fantasia!” (v. 2).

“Eles se corromperam e se entregaram a todo tipo de perversidade e abominação. Nenhum deles pratica o bem.” ( 2).

E o salmo continua afirmando que, do céu, Deus procura entre eles alguém que ainda creia nele, mas não encontra um sequer, pois “a corrupção é grande. Contaminaram-se uns aos outros e já não há quem faça o bem. Não existe um sequer!” (4).

Depois, o salmista pensa naqueles que sofrem as consequências da desonestidade, aqueles que são pobres e trabalhadores: “Será que esses malvados não percebem que estão explorando e matando o povo? Povo que trabalha e se sacrifica a fim de produzir para eles o alimento e as riquezas, que são dons preciosos do Deus que eles desprezam?” ( 5)

O salmista espera (e nós também) que chegue o dia em que a justiça será feita. Dia em que cada um receberá e cumprirá a devida pena, Dia em que termine a perda de tempo e de dinheiro sem resultados, pois não retorno dos bens roubados e tudo parece acabar em marmelada.

“Mas virá grande temor sobre os ímpios. E eles, que não conheciam o medo, vão tremer apavorados, porque Deus dispersará os que agridem os seus fiéis”. (6).

E o salmo termina assim: “Haverá grande exultação, paz profunda e muita alegria quando o Senhor libertar o seu povo. Venha do céu a salvação de Israel” (7).

Nós também queremos terminar assim essa nossa oração: Que Deus olhe para nós com misericórdia e nos dê também, paz, alegria e muita exultação. Que venha do céu de anil a salvação do Brasil!

3° Encontro de Discernimento Vocacional Paroquial

A Pastoral Vocacional de nossa paróquia estará realizando o 3° Encontro de Discernimento Vocacional Paroquial para meninos e meninas, no dia 10 de setembro. Os interessados devem confirmar a presença até o dia 06 de setembro.

vocacional

Viver dentro

Chiara Lubich

Queremos converter-nos, Senhor. Até agora vivemos “fora”; – doravante, devemos viver “dentro”, como Maria.

Porque até o viver “fora”, voltador para o próximo ou para as obras – mesmo que seja por amor a Deus- se não for corrigido por uma força espiritual que atrai a alma continuamente para seu íntimo, pode tornar-se motivo de divagação, com muito tagarelar inútil, com “coisas santas” dadas aos “cães”.

Viver dentro

Viver “dentro”, crescer interiormente, desapegar-se de tudo, não para ficar suspenso entre o céu e a terra, mas “enraizados” no Céu, fixados no Coração de Cristo, através do Coração de Maria, numa vivência trinitária, prenuncio da vida que virá.

Viver “dentro” e só oferecer ao próximo a seiva que jorra do Céu dentro de nós, para servi-lo realmente e não o escandalizar com a nossa demasiado pouca santidade.

Como Maria

Viver “dentro”, como Maria, a inatingível, a Mãe amada, a Rainha, a Guia, que vence Satanás ancorada em Deus e não com atitudes exteriores que lhe são remotas como a terra, do céu.

Viver “dentro”, suspensos na cruz por nossas mãos, para que Cristo continue, inclusive por meio de nós, a obra de reunificação de um mundo farsante que sofre, que espera, que quer esquecer, que teme, que á dó ao nosso coração hoje, como a multidão, ontem, a Jesus.

Para arrastar o mundo

Viver “dentro” para arrastar o mundo que só vive “fora”, para os abismos dos mistérios do espírito, onde nos elevamos e repousamos, recebemos conforto e fanhamos novas forças, e retomamos alento para voltar à terra e continuar a batalha cristã até a morte.